Blog da Semana
Bad Girls Go Everywhere
Quem arrisca um nome destes para blog tem obrigação de ser desabrida, ousada e cheia de personalidade. Seja quem for a autora deste blog, tem isso tudo.
Uma boa frase
“Acreditar ou não em Deus depende da medicação. Alguns comprimidos deviam vir com esse efeito secundário: a partir da terceira semana vai deixar de acreditar em Deus. Deus e as farmácias são concorrentes. ", Nuno Costa Santos,
O Marginal Ameno
Mais comentários e ideias: pedro.roloduarte@sapo.pt
Pesquisar
 
Ligações
Antena 1
Janela Indiscreta em texto
Janela Indiscreta em rádio
O Hotel Babilónia na Antena 1 (com o João Gobern)
No Biography Channel
Lux Woman, a revista onde escrevo todos os meses

Arquivo
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Mais comentados
83 comentários
70 comentários
59 comentários
Subscrever
Terça-feira, 22 de Abril de 2014


publicado por PRD às 10:24
link | comentar | ver comentários (2) | favorito


publicado por PRD às 01:37
link | comentar | favorito

Sexta-feira, 18 de Abril de 2014


publicado por PRD às 23:22
link | comentar | favorito

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Pelo menos quatro médicos de várias especialidades, um deles director de serviços, estão sob investigação num esquema para "desviar doentes de hospitais militares para unidades privadas de saúde, para a realização de tratamentos com preços inflacionados e que muitas vezes nem sequer eram necessários. A radioterapia interna seria um deles, que chegava a custar à ADM 16 a 18 mil euros, comparticipados a 100%. No público, o mesmo tratamento ficaria por cerca de seis mil euros". Isto conta o Público aqui. Com todos os pormenores.

Repito: anda meio mundo a enganar outro meio, como comecei a desembrulhar neste outro post. Fico deprimido mas bem mais tranquilo: não estou enganado, sou apenas um dos poucos otários que vive mesmo do seu trabalho. Quando há trabalho, claro.


publicado por PRD às 12:33
link | comentar | ver comentários (1) | favorito (1)

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Quase todos os dias penso nisto: há uma enorme discrepância entre a crise - traduzida tanto em números públicos como na forma como a sinto na pele, com rendimentos que encolheram aos níveis dos anos 80 e praticamente me deixam falido - e as multidões que vejo encherem os supermercados e centros comerciais, ou o parque automóvel que me cerca (pelo menos em Lisboa…).
Nada bate certo nesta crise. Nem o numero de smartphones vendidos, nem os concertos esgotados, nem os estádios de futebol cheios, nem os restaurantes da moda sem lugares vagos, nem o Algarve em alta na Páscoa - e depois, a realidade dos cortes nos salários, nas pensões, os impostos, as taxas, enfim, o que sabemos.
Repito: quase todos os dias penso nisto. E depois leio noticias como esta e começo a perceber: anda meio mundo a enganar outro meio. Fico deprimido mas bem mais tranquilo: não estou enganado, sou apenas um dos poucos otários que vive mesmo do seu trabalho. Quando há trabalho, claro.

(A noticia para que o link aponta, do Expresso, é esta: “Mais de uma dezena de funcionários do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém estão a ser investigados pela Polícia Judiciária por suspeita de envolvimento num esquema fraudulento de emissão de bilhetes, permitindo a entrada de visitantes naqueles dois monumentos à margem da contabilidade oficial”. É oficial: vou começar a contabilizar o numero dos que se safam à margem da lei. Vai explicar muita coisa sobre a putativa crise que vivemos. Que vivem alguns.).


publicado por PRD às 11:22
link | comentar | ver comentários (3) | favorito


Post it

Ler mais

Ler mais
Imperdível


Banda sonora de 2013.