Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

12
Dez07

Pensamento ocioso

Há muitos anos, quando começaram a entrar nos hábitos nacionais as telenovelas (então apenas da Rede Globo, na monopolista RTP), o meu pai, por dever de ofício, seguia os episódios e as tramas. Um dia, entrou na sala e eu estava a ver, como um extraterrestre, um episódio de uma dessas novelas...
Interrupção...
(Nunca segui uma telenovela. Aliás, nunca segui nada em televisão – e dou graças aos deuses que inventaram o DVD pelo facto de finalmente poder ver séries seguidas sem saltos nem desistências. Não digo isto como evidência de alguma qualidade, mas justamente como defeito que atrapalha as relações sociais: quando toda a gente fala de um episódio de uma série ou de um capitulo excitante de uma novela, eu vou, sei lá, buscar gelo, porque nunca sei do que se fala...).
... Recomeço...
Estava então eu a ver um bocado de uma novela qualquer e perguntei-lhe:
- Saberá explicar-me por que estão sempre todos ao telefone?
Telefone fixo, que estávamos ainda nessa pré-história da existência humana.
O meu pai explicou-me então, sumariamente, as regras técnicas da novela. Não me lembro de muitas dessas regras, mas lembro-me desta: o uso do diálogo telefónico – que muitas vezes é um monólogo, dado que só ouvimos a pessoa que vemos – é uma forma de abreviar a história e reduzir custos. O plano do actor ao telefone é fechado e fixo, não envolve mais cenários do que o existente, e faz a trama andar para a frente. Cria novas tensões, também. Quem fala ao telefone pode descrever cenas que seriam caras ou difíceis de gravar, e que podem por todos ser imaginadas. Além disso, poupa tempo, porque o interlocutor pode estar a descansar ou a preparar outra cena qualquer e o plateau está em uso enquanto se grava aquele momento. Em resumo: é barato e eficaz.
Hoje lembrei-me desta regra enquanto fazia zapping por entre canais de televisão.
E ocorreu-me uma primeira reflexão. A óbvia: com a vulgarização do telemóvel, as novelas devem ser ainda mais baratas e muito mais dinâmicas.
Logo a seguir, o “pensamento ocioso” do dia: um produtor mais afoito pode conceber uma novela toda feita ao telefone. Poupa muito. Tem patrocínio garantido. É inovador (o que pode afundar a coisa, claro). Mas mantém o essencial: intriga, negócio, conversinha, pobres, ricos, amor e traição. No fundo, tudo o que uma novela tem.
Ou melhor: quase tudo. Por qualquer razão o pensamento era ocioso.

4 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D