Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

16
Mai09

Agarrem-me

Quando andava no Liceu e havia ainda uns momentos mais ou menos político-partidários conflituosos, todos nós, militantes das Juventudes dos Partidos, tínhamos uma atitude facilmente reconhecível:

- Havia os militantes da pancada, que se pelavam por uma cena, nem que fosse para disputar uma caneta perdida...

- Havia os que (como eu...) defendiam que “a violência é o argumento dos incompetentes” e tentavam resolver tudo pelo diálogo, mas não fugiam nem tinham medo. Normalmente, enfardavam...

- Havia os mariquinhas, que desapareciam ao mais leve sinal de confronto...

- Havia os rolhas – que eram aqueles tipos que se mantinham à tona de água, qualquer que fosse a maré. Eram amigos de toda a gente e nunca se comprometiam...

- E havia os mais irritantes de todos: os que reproduziam a piada do “agarrem-me senão eu bato-lhe”. Eram os fiteiros: faziam de conta que eram militantes da pancada, faziam de contam que se passavam, faziam de conta que agiam, faziam de conta em regime militante. Mas queriam mesmo era ser agarrados, para poderem continuar a fazer nada e descansar a seguir...

Lembrei-me deste tipo de figuras do Liceu Camões ontem, quando verifiquei, uma vez mais, que Manuel Alegre é dos que gritam “agarrem-me”. Neste caso é “agarrem-me, por favor, senão eu saio, o que é muito pior para mim”. Não há pachorra.

6 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D