Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

11
Jul09

Uma pequena história com Carlos Paredes

(A edição de hoje da revista do i foi dedicada ao atraso nacional. “Nós, Atrasados” tem, digo eu, que sou suspeito, um conjunto de boas histórias e matérias. Às tantas, lembrei-me de fechar a revista com esta “pequena história sem consequências”...)
 

“As pessoas gostam de me ouvir tocar guitarra, a coisa agrada-lhes e e eles aderem. Não há mais nada” – foi assim, realmente, a vida de Carlos Paredes, o compositor e músico de alucinada humildade, que viveu sempre num plano diferente dos demais, como se estivesse um pouco acima do plano terreno.

Um génio da guitarra.
Mas também um incurável e incorrigível atrasado.

No começo dos anos 80 do século passado, saía das aulas para o momento de convívio na pastelaria Vita, a clássica paragem dos estudantes do Liceu de Camões. Do outro lado da Avenida Duque de Loulé ficam as instalações da Sociedade Portuguesa de Autores. Naquela tarde, pelas 18:30, Carlos Paredes é esperado no auditório da SPA para um recital – e eu sei disso porque os meus pais me disseram que iam vê-lo.

Chego à Vita, são talvez 18:45, e vejo Carlos Paredes sentado na esplanada, acompanhado pela sua guitarra, dentro da caixa, na cadeira em frente. Tranquilo, bebe qualquer coisa – um galão, estará a minha memória firme?

Ao vê-lo, lembrei-me do recital e percebi que estava obviamente atrasado. Na ingenuidade da adolescência, achei que devia fazer qualquer coisa. Dirigi-me a Carlos Paredes:

- Desculpe, o senhor não tem um concerto aqui na SPA às seis e meias?

- Oh meu amigo, tenho sim senhor – respondeu-me, bem-disposto...

- Pois, disse eu, é que já são quase sete horas...
- Ai sim? Não me diga...
- É verdade, são dez para as sete...
- Tenho que começar a pensar em ir andando...

E continuou sentado, ligeiramente menos tranquilo do que antes, mas pausado, com tempo, sem pressas.

O recital terá começado com 50 minutos de atraso.

... Foi desse momento que me lembrei quando, anos mais tarde, em 1988, entrevistei Carlos Paredes para um programa da RTP. E esperei, numa sala fria da então editora Polygram, durante hora e meia. Por fim chegou. E foi nas palavras o mesmo génio cuja guitarra nos chega ainda hoje, sem qualquer atraso, com todo o tempo do mundo, até junto do coração.

1 comentário

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D