Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

14
Out09

Maitê, blogues e a minha caixa de comentários

O “caso Maitê Proença” nunca teria existido se quem o lançou na rede tivesse espírito de jornalista – é que basta ver o programa “Saia Justa” para perceber que aquele vídeo é um entre muitos, do mesmo género, habituais na emissão. É apenas um bocado de mau humor. Mas ainda assim humor. Ou seja, era preciso contextualizar. E depois, era preciso perceber que o vídeo foi feito e exibido... há dois anos. O You tube e os blogues têm este pequeno problema: não sentem necessidade nem têm de enquadrar as imagens e os vídeos. E daí resultam grandes disparates – como uma indignação geral... com dois anos de atraso”. Ou a pura ignorância sobre o que é o “Saia Justa”.

E a propósito faço aqui um paralelo:

É um pouco como a colecção de disparates que está na caixa de comentários do post anterior: o leitor chega aqui, vê quatro linhas de apoio a António Costa, e vá de insultar: que eu só apoio porque já ganhou, que devo ter uma avença na Câmara, que isto, que aquilo. “Sabujice post-eleitoral, com tudo o que isso significa: interesseira, sem riscos, uma porcaria, enfim”.

Ora, se não fosse tanto o azedume, a má-fé e a ignorância, antes de comentar dava uma volta pelo blog, googlava umas coisas, e percebia que o meu apoio a António Costa vem da candidatura anterior, que em ambas pertenci à Comissão de Honra, facto que está no site da candidatura, e que o escrevi publicamente.

A net é assim mesmo, este caos de liberdade onde vale tudo, o melhor e o pior. Confesso, no entanto, que ao fim de quase dois anos de blog, e de insultos sobre insultos, criticas gratuitas sobre criticas gratuitas, e carradas de maldade travestida de opinião, sinto-me tentado a fechar de vez a caixa de comentários. É um pouco masoquista esta coisa de deixar um quarto da minha casa aberto ao mundo, e permitir que venham cá, como a Maitê, cuspir-me em cima, como se tivessem pago bilhete, como se o blog fosse do Estado, como se eu estivesse ao balcão. Um saco de boxe ao dispor. Sem respeito. Sem educação. Às vezes sem sentido sequer.

É certo que, em paralelo, já houve aqui polémicas saudáveis, criticas inteligentes, elogios e arrasos absolutamente respeitáveis. É certo também que agora a caixa está moderada (mas, por principio, a moderação só se aplica ao palavrão ou à rasquice mais básica). Ainda assim, há dias em que perco a paciência e só me apetece dizer às Paulas e aos Saraivas desta vida: gostam assim tanto de mim que não me largam? Não querem ir brincar com os outros meninos? Uma voltinha ao bilhar grande, não?  

Há dias assim. Já passa.

27 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D