Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

10
Jan08

O pé de um GNR

Conta o Correio da Manhã que em Felgueiras, num Centro Comercial, um cidadão, depois de se recusar a apagar o cigarro, e confrontado com a presença da GNR, decidiu insultar a autoridade, persistir no fumo activo, e uma vez detido e enfiado na viatura da Guarda, manter-se estoicamente indignado. Vai daí, mordeu um agente na mão e no pé…

Os fumadores fundamentalistas compreenderão a fúria inaudita do cidadão. Os não fumadores fundamentalistas dirão “ah, pois é, sempre disse que os fumadores são delinquentes em potência”.

Eu, ao ler esta notícia, noto apenas que os factos ocorreram em Felgueiras – essa terra onde a lei esteve sempre abaixo das pessoas (e continua...), e que se candidata a substituir o Entroncamento no domínio dos “fenómenos”.

O “fenómeno”, neste caso, é a misteriosa artimanha que o fumador terá usado para conseguir morder o pé de um agente da GNR. Conseguiu descalçá-lo primeiro? O agente actuava “à civil”, isto é, de pé ao léu? Há um fetiche em Felgueiras que envolve agentes da autoridade e pés desnudos? Ou afinal o infractor mordeu uma bota rija da Guarda Nacional Republicana?

São perguntas que ficam, lamentavelmente, sem resposta. Outras haveria, mas ficamos por aqui.

Ora, ensinaram-me que quando um cão morde um homem, não é notícia. Quando um homem morde um cão, é que é notícia. Neste caso…

Bom, quando um fumador morde o pé de um GNR, para mais em Felgueiras, também me parece que pode ser noticia.

4 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D