Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pedro Rolo Duarte

30
Mar12

O mundo artístico anda cheio de problemas

Ontem, no Correio da Manhã, o cantor Toy, “farto das notícias que continuam a afirmar que é pai de Gabriel”, desabafou: “Estou muito cansado disto tudo e acho inacreditável”. Interrogado sobre se se sente magoado, deu a mais brilhante resposta de sempre... ontem. Repare-se no português, na construção, na argumentação:

“Sinto-me muito magoado e já tive problemas até a nível de saúde. Tive um AVC e acho que isto tudo contribuiu muito para isso. Além do que, eu tenho família e houve muitas alturas em que me senti mal por eles”.

Mas quando pensava que a coisa ficava por ali, veio o Correio da Manhã de hoje e foi mais longe, numa entrevista a José Castelo Branco. O “actor” – assim se declara aquele ser – contou que a mãe Nini, de 90 anos, “ficou arrasada ao saber que o filho se envolveu numa orgia com um casal”: “Teve de ir de urgência para o hospital devido a complicações cardíacas”, “não aguentou o desgosto”. E na linha da pergunta a Toy, o CM interroga José: “Está a ter algum tipo de acompanhamento médico?”.

A melhor resposta de sempre... hoje:

“Sim, estou a tomar medicação. Fui a um neurologista, porque estou cheio de tremores, tenho uns tiques na cabeça”.

Já Luciana Abreu, é o que se vê na chamada de primeira página.

E ainda há quem me pergunte por que leio o Correio da Manhã.

25
Mar12

Mistérios do mundo do futebol e da publicidade

 

Só há uma certeza sobre qualquer jogo de futebol: o árbitro é sempre odiado. Se fizer mal o seu trabalho, é odiado por isso. Se fizer bem, também. Se for parcial, é muito odiado. Se for imparcial, também.

Dito isto, não consigo perceber o interesse da imobiliária ERA em patrocinar os árbitros, fiscais de linha, até o quarto árbitro, nos jogos da Liga Portuguesa.

É masoquismo? Gosto em deitar dinheiro à rua?

Ou há estudos que provam a eficácia do acto tresloucado de associar uma empresa ao mais odiado dos profissionais que pisam a relva de um campo de futebol?

Alguma vez compraria uma casa a uma empresa que enfeita as camisolas dos árbitros de futebol? Eu não.

Enfim, poderia deixar mais algumas perguntas, mas não interessa nada. O futebol, como bem sabemos, tem demasiadas questões cuja explicação está para lá da mediana compreensão de qualquer de nós.

20
Mar12

"Jóia rara", como cantava Caetano

 

Dizem os números que Tina Brown não estará a conseguir dar a volta à revista Newsweek (pelo menos tão depressa quanto gostava...), na operação de fusão online com o seu The Daily Beast, e na edição em papel refundada e visivelmente melhorada. Nem por isso, no entanto, deixou o crédito da criatividade por mãos alheias: esta semana, e assinalando a quinta temporada da série de TV Mad Men, a revista chegou às bancas com o design e a estrutura de uma edição de 1965, justamente o tempo em que a fabulosa série vive.

A recriação, que inclui uma mistura de nostalgia e actualidade, é um daqueles momentos de ouro da edição de imprensa, uma “jóia rara”, provando que quem “matou” antecipadamente o talento de Tina Brown estava longe de acertar no alvo. A imaginação, a garra e o mais aguçado espírito jornalístico não são apanágio dos mais novos – são, isso sim, dos melhores. Há muitos anos que a Newsweek não vivia momento tão vibrantes, inspirados e inovadores. Uma lição para quem anda literalmente aos papeis por esse mundo (das revistas) fora...

19
Mar12

1,60 euros

Um jornal que, numa edição de um só dia, tem crónicas de Miguel Esteves Cardoso, Vasco Pulido Valente, Alexandra Lucas Coelho, e Frei Bento Domingues, uma entrevista de quatro páginas a Eusébio feita pelo próprio Miguel Esteves Cardoso, um excelente perfil de Jill Abramson, a mulher que manda agora no New York Times, um trabalho de fundo sobre adopção, outro sobre etnias em Portugal, uma reportagem (lá, no sitio) sobre a situação da Grécia, além das noticias do dia, de matérias mais pequenas, de outras crónicas, tudo impresso em bom papel, agrafado e aparado, e custa apenas 1,60 euros (ou seja, metade do Expresso ou da Sábado, e bem menos do que a edição de domingo do El Mundo), é ou não um oásis no deserto impresso que assola Portugal?

É. Chama-se Publico e era assim, mais coisa menos coisa, a edição de ontem.

 

(Estou à-vontade para escrever: nunca trabalhei ou colaborei no Público, e mesmo quando desejei fazê-lo fui prontamente posto em ordem e à distancia: “estamos muitíssimo "virados" para dentro”, respondeu-me a directora num gélido e educado mail).

Pág. 1/2

Blog da semana

Por Falar Noutra Coisa. Humor neste reacordar do blog. Rir é o melhor remédio. Lugar comum indiscutível.

Uma boa frase

“Sucessivos governos ficaram irritados, o actual vai um pouco mais longe, esquecendo que votar é um direito mas nunca uma obrigação. Em países desenvolvidos os cidadãos até votam durante a semana, ao passo que na choldra querem proibir jogos de futebol para obrigar o povo a ir votar." António de Almeida, Aventar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D