Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

05
Nov11

Palavras que substituem palavras

Acho sempre interessante observar a evolução do léxico no universo social, político, e obviamente no mundo da gestão. O meu interesse pelo tema começou no dia em que se começou a chamar à actividade profissional que exerço – chamada então jornalismo... – a obtusa designação de “produção de conteúdos”. Passei vinte e tal anos a fazer jornalismo – ok, se preferirem, a “produzir” jornalismo... – e de um dia para o outro passei a “produzir” “conteúdos”.

O ser humano habitua-se a tudo e não fui excepção – hoje já não fico “encanitado” quando me falam dos conteúdos. Aqui estou, neste blog, a produzir mais um conteúdo. Em rigor, 1400 caracteres de conteúdo.

Mas entretanto outras palavras substituíram palavras existentes. Esta semana morreu, aos 16 anos, a revista “Rotas & Destinos”, que foi lançada pela “Ferreira & Bento” e mais tarde comprada pela Cofina. Na notícia do Público online o lead era este: "A Cofina vai descontinuar a publicação da revista Rotas & Destinos, já a partir do próximo mês”, confirmou esta tarde ao PÚBLICO uma fonte oficial do grupo”.

Antigamente as revistas acabavam ou fechavam. Houve um tempo intermédio em que se “suspendiam” publicações.

Agora, não: agora as revistas são "apenas" descontinuadas. Deixam de ser produzidas naquela fileira da fábrica. Não continuam. Não quer dizer que acabem. Não quer dizer que regressem. Quer dizer o quê? Alguém pode ajudar?

E os que lá trabalham? São suspensos, despedidos, descontinuados, ou ficam à espera?

Se eu trabalhasse numa revista “descontinuada”, exigia a descontinuidade: não continuava a trabalhar, mas não deixaria de receber. Porque isso já seria “desreceber”. E a revista não foi “desrecebida”. Foi “apenas” descontinuada.

Parece brincadeira. Mas é muito sério.

3 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D