Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

28
Dez12

Um marco e um retrato

 

Quando ontem comprei esta edição derradeira (em papel, bem entendido) da “Newsweek”, senti um arrepio na espinha. Não se trata do fim de uma revista – que dói, mas se pode compreender pelas leis naturais do mercado, que tem os seus pergaminhos próprios, como as leis naturais da vida... -, mas do fim da viabilidade de uma publicação na sua formatação original. Em papel.

Como se a “Newsweek” nos estivesse a dizer: um dia, todos serão como nós.

Como se a um velho de 80 anos – os que a revista iria fazer... – lhe dissessem: deixas de existir no formato humano, mas calma: vais sobreviver virtual e digitalmente.

Posso compreender o fim do papel na imprensa diária, pelo paradoxo e quase contrasenso que constitui, no tempo da Internet e da TV 24 horas por dia, tudo ao alcance de um telefone, haver um meio de informação que no momento em que é posto à venda tem já, pelo menos, 8 horas de desactualização.

Compreendo menos o fim do papel nas revistas, num objecto que é em si um prazer, que sobrevive ao passar dos dias, se disponibiliza na sala de estar por tempo indeterminado, que se guarda quando nos diz mais do que o óbvio. Uma revista é uma experiência que envolve sentidos como o tacto, o olfacto, a visão para lá de uma barreira chamada ecrã. Nesse sentido, admito que a decisão dos proprietários da Newsweek é um momento de desistência e o reconhecimento de um falhanço: não conseguiram ser suficientemente criativos, ousados, inovadores, ao ponto de justificarem a sua existência em papel, para lá do investimento no mundo digital.

Mas este momento crucial do jornalismo do século XXI é um fortíssimo sinal. Um aviso à navegação. E um pedido de socorro expandido: quem quiser permanecer à tona de água no universo das newsmagazines, e das revistas em geral, vai ter mesmo de puxar pela cabeça e saber reinventar-se. Não é um trabalho só de jornalistas – é de marketeiros, de publicitários, de criativos, de designers, de filósofos, de sociólogos, de gente comum, de gente quem nem imaginamos quem seja. Mas é um trabalho que está por fazer.

Vou seguir o percurso digital da Newsweek, mas não tenho duvidas de que esta capa, mais do que um marco na História da Imprensa – e é um marco, indiscutivelmente -, é também o retrato de um dos momentos menos criativos e vibrantes da imprensa. Logo na hora em que se lhe pedia exactamente o contrário.

3 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D