Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

06
Mai08

Desemprego, por Pacheco Pereira

Antes de haver Internet, e quando ainda não tinha a noção de que a vida era (infinitamente) finita, ocupava parte do meu tempo livre recortando artigos e reportagens de jornais e revistas, que depois catalogava e arquivava em pastas. “Para mais tarde, nunca se sabe”.
Basicamente, guardava o que escrevia e publicava (o portfólio, afinal), matérias relacionadas com jornalismo (o meu interesse mais profundo), e aquilo que designava abreviadamente por GTE: “o que eu gostava de ter escrito” (os artigos que, de tão bons, mereciam estar nas prateleiras dos livros...).
Nas diversas mudanças que fui fazendo, libertei-me dessa carga de papel que se arrastava atrás de mim desde os 12 anos - e hoje resta pouco desse potencial arquivo. Não me arrependo da decisão, apesar de um ou outro momento nostálgico (ou pior: uma ou outra necessidade de reler algo...). Com esse corte, deixei obviamente de perder tempo a recortar artigos de jornal – e hoje, bom, hoje eles andam aí no espaço virtual e tudo se encontra e reencontra com mais ou menos trabalho.
No fim-de-semana passado, no entanto, voltei ao passado. Sem querer. Ou sem sequer pensar no gesto automático que se apoderou súbita e literalmente de mim. Dei comigo a recortar e guardar uma página de jornal.
Estava fora de Lisboa. Agora, ao arrumar a mala de viagem, surpreendi-me a olhar para esta página de jornal recortada e pergunto-me: o que foi que me deu?
Resposta: deu-me um acesso de GTE. De algo que gostava de um dia ter escrito. De algo que merece estar onde estão as mais sábias palavras. Fui ao passado buscar esse impulso físico de cortar a página e a guardar na pasta das “eternidades”.
Está aqui, felizmente ao alcance de todos, uma das melhores crónicas que li nos últimos (largos, bem largos) tempos. Guardem-na como eu a guardo. Mesmo que o recorte guardado na tal pasta GTE seja agora um link ...

1 comentário

Comentar post

Blog da semana

Retrovisor. Quem lia A.B.Kotter no velho Semanário habituou-se a gostar de ler José Cutileiro. Neste blog, a escrita é outra, mas continua a ser uma delícia. Pena que o "Expresso", que o tem como colaborador, não lhe dê mais espaço...

Uma boa frase

“Este ano será de vida nova, não por mérito ou culpa própria: nós por cá todos bem. Mas Trump, Brexit, Putin, Estado Islâmico, tudo cada vez mais desigual e cada vez mais perto de tudo, vão meter-nos as novidades pela porta dentro, boas e más. Sobretudo más." José Cutileiro, Retrovisor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D