Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

20
Set08

Cala a boca, Magda!

Há momentos felizes: eu andava à procura de um texto antigo que ficasse bem no fim-de-semana do blog. Guardo desordenadamente em discos externos a história virtual da minha vida e os nomes das pastas e ficheiros são verdadeiros enigmas, especialmente para mim, que os criei: “ficheiros já guardados Novembro 2000” é um nome tipo de uma pasta; “Visão 156” é um clássico nome de ficheiro. Depois há tentativas de organização sofisticadas que levam a ficheiros com titulos assim: “DNA 145 2005-06-09”. Ou descritivos: "Ensaio Agosto", "Carta do Alentejo a ver"...

Em geral, preciso de uma a duas horas para encontrar o que procuro. Quando encontro, claro.

Foi numa destas mil pastas de arquivo informático que às tantas vejo um ficheiro do Word com o nome “Magda”. Soou a campainha. Magda? A Magda do “Sai da Baixo”? A burra gira mais divertida da história do humor brasileiro?

Era mesmo. E o que era? Era uma colecção de frases tontas, tolas e impagáveis da personagem, tiradas da série, e colocadas num site qualquer  alimentado por admiradores da actriz Marisa Orth.

Há melhor para um sábado ou domingo do que uma memória breve de “Sai de Baixo” – talvez a ultima série de humor que eu agendava na Filofax para não perder... - e da sua incontornável Magda?

Cá vão umas tantas...

  • A gente precisa dar uma olhada na nossa árvore ginecológica!
  • O pessoal aqui do prédio é muito linguarudo, depois fica aquela felação...
  • Será que ele vai meter os pés pelo anão?
  • Justo agora, que a família ia de vento em sopa...
  • Vício? Tio Vavá, o senhor anda cheirando proteína?
  • Você é o ar que eu transpiro.
  • Eu não sei mais o que fazer pra chamar a atenção do Caco... pensei até em fazer uma lipoinspiração, um displante de cabelo... pensei até em usar uma lente de contrato.
  • Tá parecendo um artista de cinema, tá praticamente um galão!
  • Só falta dar uma afogadinha nos legumes, botar o frango pra assanhar... ah, depois também eu descobri que cozinhar não é nenhum bife de sete cabeças.
  • Eu perdi a loção do tempo.
  • Pretendo ser tua parceira na alegria, na tristeza, na saúde, na doença, fumantes e não-fumantes.
  • O senhor sabe muito bem que durante toda minha vida eu sempre fui uma mulher estériosexual.
  • Aceita um cheque pré-deitado?
  • Finalmente a felicidade bateu à sua porca.
  • Vocês não tão vendo, vocês ficaram surdos?
  • Se o encanador não é quem parece eu só posso chegar à conclusão de que as aparências encanam.
  • Isso aqui ficou com cor de burro quando chove.
  • Ele não consegue pintar nem olhando pra mim, que sou a mula inspiradora dele.
  • Eu faço um nú artístico pra você... você pode pintar uma Mongalisa, um Santo Seio, ou até uma Vênus Mamilo.
  • Eu tô exausta, Caquinho, fiquei horas tentando apagar a luz da geladeira...
  • Eu preciso comprar um sutiã pra aprender a nadar de peito!
  • Minha boca vai ser um cúmulo!
  • Não me trata assim que eu me sinto um cão com o nabo entre as pernas.
  • Cospe, cospe no pato que comeu!
  • Quem espera sempre cansa!
  • Foi você que me mandou esse bufê de flores?
  • Você ainda vai comer o pau que o diabo abraçou!
  • Eu não desistirei, até o dia em que as galinha botarem ovos!
  • Como é que eu ia saber o dia em que a mamã nasceu, eu não tava lá!
  • Edileuza, faz aquele bolo de chocolate com cão de ló!
  • Nós precisamos arranjar um médico pederasta pra essa criança.
  • Estou tão certa como bois e bois são pato.
  • Como perder o avião? É uma coisa muito grande pra se perder.
  • Se mamã vai vestir de gala eu vou vestir de galinha.
  • Deus escreve esperto por lindas portas.
  • Você está me transformando numa cereal killer.
  • Adoro trocar idéias... mas eu só posso trocar as repetidas, senão eu fico sem nenhuma.
  • Você tá morta? Se você morreu fala pra gente... assim vai adiantando a certidão de órbita.
  • Nós temos que começar a fazer filhos agora... depois, quando a gente ficar bem velhinho, a gente começa a fazer os netinhos.
  • Que mau humor... o que foi, acordou com o pau esquerdo?

10 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D