Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

27
Set08

Que prazer, mais um livro do Miguel

Eu li estas crónicas quase todas. Mas é diferente lê-las com um sentido profissional, procurando uma imagem ou um destaque ou uma entrada, fechando um jornal, ou ter agora o prazer de as ler soltas. Sem compromisso. Sem qualquer outro objectivo que não seja o prazer de ler. E de aprender.

Agora é melhor. Agora é que eu as li mesmo.

Ele fala por escrito como eu o ouvi sempre falar, e fala daquilo que nos interessa: o que se come, o que se bebe, o prazer e a lógica, a explicação e a História. Ou sobre o amor, que é tudo isto e muito mais: “Ela ficou minha. Eu fiquei dela. É ou não é estranho e lindo e bem pensado por Deus Nosso Senhor que ambos pensemos que nos livrámos de boa e ficámos a ganhar? É.”

Não vejo nem falo com o Miguel há coisa de um ano, ou pouco menos. Falamos quando temos de falar – e não temos de falar, mesmo que queiramos falar, que é o que acontece sempre. Mas temos anos e anos em atraso e sempre que falamos combinamos que não há mais atrasos. Já sabemos que haverá.

Houve mais um.

E eu estou na Bertrand das Amoreiras à procura de um livro que tenha uma receita de Biryani (não sei como se escreve, mas quando é bem feito garanto-vos que é bom como nada – eu ía escrever tudo, mas não é verdade...). Não encontrei, mas fiquei de sobrolho arqueado quando vi, entre livros de receitas, este “Em Portugal Não se Come Mal”.

No meu entusiasmo imediato, peguei no livro e fui para a caixa mas, felizmente, a meio do percurso, caí em mim: pessoas que “escondem” um livro do Miguel, que não percebem que aquele livro não é para arrumar entre manuais de receitas de bife e tratados de cozinha chinesa, não merecem o meu dinheiro. Voltei atrás e deixei lá o livro escondido, como eles preferiram colocá-lo. E vim cá abaixo à Bulhosa, onde o livro estava razoavelmente colocado. Comprei.

Desde ontem que me acompanha pela casa. Porque, como bem diz o Miguel, “as alegrias, para serem grandes, não precisam de não ser pequeninas: basta-nos que sejam nossas”.

Esta também é minha.

O livro. A capa. A couve nas mãos de quem sabe o que vale e merece.

E os textos, o que se aprende. Duas gorduras. Grelhada só a sardinha. Camarão e ovo estrelado. O que eu perdi por ler estas crónicas em trabalho...

“Em Portugal Não se Come Mal” é mais uma grande e bela colecção de textos grandes e belos do Miguel. Será uma pena se as estúpidas regras “moderninhas” dos livros e das editoras, nestes tempos foleiros, o colocarem longe dos olhos do público, ou seja: longe do sucesso.

Até por isto: “O maior segredo da felicidade é a evidência da vida – aquilo que é claro como água, que não precisa de ser medido. A felicidade está em dar o justo valor às coisas que o têm, desde o amor à amizade à água. O resto é sobresselente. O resto, como o álcool, é alegria”.  

Há Miguel Esteves Cardoso melhor do que o Miguel? Não há.

5 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D