Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

10
Dez07

Manual Prático da Política Ocidental

Quem efectivamente quiser fazer um Manual da Verdadeira Forma de Fazer Política no Ocidente nos Tempos que Correm, não tem mais do que relatar factualmente, sem necessitar das muletas da análise ou da opinião, o que aconteceu este fim-de-semana em Lisboa.
Quem são todos os que vieram, por que tragédias (humanitárias, politicas, de guerra, de terrorismo, de prepotência, de ditadura, de violação dos direitos humanos) são responsáveis, o que potencialmente podiam ser os países que gerem e o que são na realidade esses países.
Quem os recebeu e o que defende quem os recebeu.
Quem com eles negoceia e com isso cauciona as politicas que executam.
Como os que os receberam de sorriso aberto deixaram que dominassem as ruas de Lisboa e transformassem a cidade numa submissa capital de segunda ordem.
Como demonstraram o seu poder – em segurança efectiva ou posta ao seu dispor, em instalações e meios, em tempo de antena e cortesias, aviões, hotéis, agenda literalmente às ordens.
Esquerda e direita não se distinguem nessa forma peculiar de conciliar os direitos humanos com a economia, a democracia com a necessidade, a liberdade com o medo.
Este fim-de-semana, em Lisboa, pessoas que, à luz da legislação europeia, estariam presas em regime de alta segurança, dominaram a cidade, os media, gastaram dinheiro dos contribuintes, e receberam sorrisos da maioria dos dirigentes europeus.
Era uma vaga ideia que tinha, mas agora tornou-se um facto: o crime compensa.

7 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D