Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

28
Out14

Cinquenta, primeiro capítulo: “ao perto”

Uso óculos desde os 16 anos. Ligeira miopia e astigmatismo que, ao longo dos anos, evoluíram lenta e tranquilamente, sem nunca me darem grande trabalho ou despesa. A ultima vez que fiz o exame completo aos olhos, num oftalmologista como deve ser, foi-me elogiada a “tensão ocular” e tudo estava em ordem.
Há uns meses, comecei a sentir que a graduação dos óculos que usava estavam a falhar o objectivo, tanto “ao longe” como “ao perto”. Lá fui rever a coisa e confirmou-se que havia alterações na graduação. O optometrista insistia que eu devia tentar lentes progressivas, pois os novos óculos que estava a comprar não teriam grande efeito na vista “ao perto”, corrigindo apenas a “geral”. Do alto da minha presunção, pensei: ora, se usei uns óculos únicos para perto e longe toda a vida, não é agora que isso vai mudar.
Pois não.
Há semanas, já um pouco irritado por ver cada vez pior “ao perto”, comprei um par daqueles óculos “de leitura” que se vendem nas farmácias. Nos primeiros dias foram-me muito úteis para ler jornais ou bulas de medicamentos. Agora, já preciso deles para o computador, para o telefone, para tudo o que é “ao perto”.
O optometrista tinha razão. E eu começo a perceber o que é ter 50 anos.

1 comentário

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D