Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

23
Nov15

Ele não desiste. Ele resiste.

Ontem, todos os canais de televisão, sem excepção, dedicaram largos minutos dos seus noticiários a um almoço organizado por José Sócrates (ou alguém por ele, dá igual), destinado a homenagear e apoiar… José Sócrates (quem mais poderia ser?!).

25 euros por cabeça.

Não vou comentar o que se disse - e as enormidade que o próprio disse - no decorrer do repasto. Limito-me a algumas perguntas.
Estas: homenageia-se José Sócrates por que motivo? Ganhou o Prémio Nobel? Ou o Prémio Pessoa, vá? Salvou um gatinho aflito num telhado? E o apoio, é um apoio a quê? Ao facto de presumivelmente ter andado a movimentar uns milhões de euros sem explicação plausível e com destino duvidoso? Ao facto de, ainda assim, e mercê de uma atabalhoada investigação, ter sido libertado (não inocentado ou absolvido, convém sublinhar) ao fim de um ano? Apoio à circunstância de continuar a ser arguido dos diversos processos em curso?
Ou será que é um novo candidato presidencial? Ou quer substituir António Costa no PS?
Não percebo.
Eu também juntei umas centenas de pessoas, há um ano, num bar de um amigo. Mas não havia preço fixo - cada um pagava só o que consumia… - e tinha uma boa razão: eu fazia 50 anos.
Não percebo a razão de Sócrates. Fará 60? Ou persiste apenas em fazer de nós - os que não foram ao almoço, mas seguem as noticias sobre os milhões voadores - parvos?
Cá para mim, é isso.

3 comentários

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D