Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

05
Jul15

Europa

Cada vez me irritam mais os “achismos”, os “achistas”, os “palpitadeiros” de ocasião. Por isso, evito vir para aqui mandar palpites sobre temas cuja complexidade, por mais informação que tenha, me escapa.
É o caso da Grécia, do referendo de hoje, e da sua permanência no Euro.
Mas não é preciso ser especialista, nem “achista” de ocasião, para perceber que o drama grego é apenas o sinal exterior mais evidente do lugar onde chegámos. O sonho da Europa solidária (com o qual cresci e a que aderi, confiante e crédulo, como no passado também caí na conversa de amanhãs que cantavam…) morreu na praia dos interesses eternamente conflituantes entre os países ricos e pobres. Nenhum deles mudou ou se adaptou à realidade europeia: nem os ricos se tornaram mais solidários, nem os pobres deixaram de dormir à sombra da bananeira dos fundos de coesão. Estamos todos na mesma. Estamos todos, como cantou José Afonso, “nas nossas tamanquinhas”.
Assim, parece-me cada vez mais claro que, com ou sem Grécia na zona euro, alguma coisa vai ter mesmo de mudar. Está a chegar o momento do “vai ou racha”. A Europa em que acreditámos, afinal, nunca existiu - e a que sobrar, depois de todos estes tropeções, será outra. Bem distante dessa ideia solidária e fraterna.
A raça humana não mudou. Aqui, na Grécia, ou na Alemanha.

2 comentários

Comentar post

Blog da semana

Mesa do ChefePara quem, como eu, gosta de cozinha, gastronomia e restauração, este é mais um dos poisos certos...

Uma boa frase

O Insurgente“Isaltino Morais: perda de mandato autárquico; condenado a 9 anos de prisão por fraude fiscal, abuso de poder, corrupção passiva para acto ilícito e branqueamento de capitais. Resultado 2017: 41.7% Esta é a imagem do país. Em suma, temos o país que merecemos, com os políticos que merecemos, com o fado que merecemos." Mário Amorim Lopes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D