Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

07
Fev16

RTP Play (ou elogio muito cá de casa)

Pode parecer lambe-botice ou elogio em causa própria, mas sou sincero: não me interessa o que possa parecer. Quem me conhece sabe que só elogio aquilo de que realmente gosto, que não regateio palavras aos bons trabalhos que leio ou vejo, e que tenho um percurso de vida muito mais feito de dar visibilidade ao talento dos outros do que andar à procura de aplausos para mim.
Dito isto, venho aqui, de passagem, para elogiar a plataforma que a RTP montou - e quem a inventou… - para manter visíveis/audíveis os seus programas de rádio e TV, independentemente de poderem constituir também podcast ou não (e aqui a coisa já mete direitos de autor sobre filmes e músicas, por isso nem tudo pode estar neste formato). Hoje, qualquer programa das antenas públicas da rádio, ou dos diversos canais de TV da RTP, pode ser visto no computador, no smartphone, ou no tablet, a qualquer hora, em qualquer dia, organizado por datas, com referências ao conteúdo, de uma forma simples, prática e intuitiva. Sou fã da coisa.
Está aqui e basta ir ao separador "Programas de A-Z" para tudo correr sobre rodas.
E já que lhe dou os parabéns, também deixo os links para os programas onde, de momento, dou a cara e/ou a voz:
Hotel Babilónia (Antena 1, com João Gobern, produção de Joana Jorge)
Mais Novos que Nunca (Antena 1, com produção e edição de Joana Jorge)
Central Parque (RTP3, com Joana Stichini Vilela, Nuno Aguiar e Filipa Gambino, produção de Diogo Peres)
É tão bom ter tudo à mão.

1 comentário

Comentar post

Blog da semana

Ladrões de Bicicletas. Voltar a um dos mais clássicos blogues colectivos de análise e pensamento social e político e reencontrar excelentes textos, opiniões pensadas antes de escritas, e o prazer de um bom serão ao sofá a ler. Like.

Uma boa frase

“O centrão político - conservadores, liberais, social-democratas, trabalhistas - anda há mais de vinte anos a liberalizar os movimentos de capitais, a desregulamentar as actividades financeiras, a promover o "comércio livre", menorizando as consequências resdistributivas destas opções. Andaram a promover a ideia de que o mundo é mais bem gerido pela "mão invisível" dos mercados do que pelos poderes democraticamente eleitos. De que é que precisam mais para perceber que este é o resultado da sua globalização: que Marine Le Pen vença as presidenciais francesas?" Ricardo Paes Mamede, Ladrões de Bicicletas

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D