Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Rolo Duarte

16
Set17

Perdido em Lisboa

Foi público o apoio que dei, enquanto lisboeta livre, às candidaturas autárquicas de António Costa. Fiz parte da sua Comissão de Honra em duas eleições consecutivas. Quando largou a Praça do Município e foi governar o país, senti-me um pouco defraudado – votei para a Câmara Municipal, não para bancos de espera, com senha tirada, para outros gabinetes... – e lá apareceu Fernando Medina, em quem não tinha votado, e que me pareceu sempre mais curto do que os fatos que vestia.

Passados estes anos, reconheço que “alindou” a cidade, ainda que tenha transformado num pesadelo, entre outros, o problema (que já existia) do eixo Entrecampos-Marquês do Pombal, e com ele toda a zona das Avenidas Novas, perto da qual vivo, mas que evito com périplos que vão da Cidade Universitária à Almirante Reis...

É verdade que venceu alguns cancros que pareciam eternos (o Cais do Sodré é exemplar), mas nem aí os seus engenheiros calcularam devidamente os espaços essenciais a uma manobra tão simples quanto virar à esquerda ou à direita. Quando é possível. Nessa medida, Lisboa é hoje uma cidade confusa, sem nexo, ciclista sem ciclistas, pedestre sem peões, desfeita na sua forma, correndo sérios riscos de, por isso mesmo, perder a alma, a essência.

Como lisboeta, filho de lisboetas, tenho a presunção de afirmar, aos 53 anos, que conheço a cidade como a palma da mão – mas há sempre um desgraçado novo sinal, ou mesmo um polícia mais escrupuloso, que me empurram para onde não quero ir, que me travam o caminho, e que, se não for para a baixa, não chega a ser um “Lost in Translation”, mas é seguramente uma forma de me perder na cidade. Na minha cidade.

Pela primeira vez desde que tenho direito ao voto, não tenho certezas sobre onde colocar a cruzinha. Gostava de gostar do mandato de Medina – mas todos os dias ele me contraria. Seja quando conduzo o automóvel, quando opto pelo metro, invariavelmente com problemas numa qualquer linha, ou pelo autocarro, cuja lógica – tão simples e clara na minha juventude, quando havia o 7, o 36, o 45, o 27... – não apenas me baralha como raramente acerta nos horários e trajectos, e tantas vezes entope o trânsito onde devia desentupi-lo (experimentem observá-los nas rotundas do Parque das Nações...).

Faltam 15 dias para as eleições. A cidade está bonita – só não funciona. Ainda vão a tempo de chamar alguém que desembrulhe isto?

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Blog da semana

Gisela João O doce blog da fadista Gisela João. Além do grafismo simples e claro, bem mais do que apenas uma página promocional sobre a artista. Um pouco mais de futuro neste universo.

Uma boa frase

Opinião Público"Aquilo de que a democracia mais precisa são coisas que cada vez mais escasseiam: tempo, espaço, solidão produtiva, estudo, saber, silêncio, esforço, noção da privacidade e coragem." Pacheco Pereira

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais comentários e ideias

pedro.roloduarte@sapo.pt

Seguir

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D